Conexão no México: uma oportunidade às vésperas do “día de los muertos” !!!

Oba! Vamos conhecer um novo país, uma nova cultura!

Chegamos cedo à Cidade do México, às 6h20 no horário local. Como a nossa conexão à Nova York estava prevista para 15h40, havíamos nos planejado para passar a manhã explorando a capital mexicana.

E assim foi: desembarcamos, passamos pela imigração, pegamos nossas malas, passamos pela aduana e devolvemos as malas à esteira de conexão para – finalmente! – ficarmos livres para conhecer a cidade em que se desenrolou boa parte do romance entre Frida Kahlo e Diego Rivera.

Fomos caminhando até a estação que fica mais ou menos a 8 quadras do aeroporto. Só nessa caminhadinha, já constatamos uma grande metrópole com alguns de seus problemas escancarados: muita poluição, o que deixava o ar bem mais pesado e a enorme e caótica quantidade de veículos.

Na estação lotada resolvemos pegar o metrô até o centro, com a ideia de conhecermos os principais pontos turísticos. Ah, como estávamos às vésperas da celebração do dia dos mortos, queríamos muito ver a cidade em clima de festa.

Palácio de Belas Artes

Descemos na estação Bellas Artes e caminhamos pelas ruas do centro, passando pelo imponente prédio do Palácio de Belas Artes.

Em seguida percorremos uma charmosa rua só de pedestres, a Av. Francisco I. Madero, tambem conhecida como “peatonal de Madero”. No caminho, pudemos observar várias janelas enfeitadas com esqueletos festivos. Já na rua, vimos um belíssimo portal, no Atrio de San Francisco, todo enfeitado de flores com desenhos e frases que remetiam ao famoso “Dia de los Muertos”.

Paramos para almoçar no Sanborns de Los Azulejos, mas antes experimentamos deliciosos chocolates temáticos do halloween na confeitaria da entrada do prédio.

Este pitoresco restaurante fica no “Palacio de los condes del Valle de Orizaba”. Esse edifício foi construído durante o período colonial e é conhecido comumente por “Casa de los Azulejos”(mais até do que pelo título nobiliárquico dos que o habitaram), por conta de sua fachada de azulejos, típicos do estado de Pueblo – México, que recobre todo o seu exterior e que o transforma numa das mais lindas jóias da arquitetura civil do barroco novo-hispano.

A arquitetura por dentro do edifício também impressiona. Pensado como um misto das arquiteturas colonial e barroca – um clássico mexicano – possui uma escadaria que dá acesso ao segundo piso e um refinado pátio repleto de mesas e cadeiras. Quando fomos, ainda pudemos contemplar uma espécie de altar extremamente enfeitado advinha de quê? Muito bem: caveiras!

Definitivamente é um local a ser, ao menos, visitado por quem está passando pelo centro histórico da capital mexicana. Como já dito, resolvemos ter a experiência completa e almoçar por lá. Pedimos diversos petiscos típicos da culinária mexicana e saímos bem satisfeitos com o sabor e com o preço.

Após nosso delicioso banquete, seguimos em direção à Plaza de la Constituición, ou Zocalo, como é melhor conhecida, local em que se encontra a magnífica Catedral Metropolitana da Cidade do México.

Preocupados em não perder a conexão, por volta das 12h30, pegamos um táxi direto ao aeroporto. Entramos na sala de embarque e ficamos no lounge VIP que nosso cartão de crédito nos proporciona. Jamais imaginaríamos que, um pouco mais tarde, passariamos pelo PIOR perrengue que já passamos em toda nossa vida de viajantes. (Vamos escrever o post “Nosso maior perrengue em viagens”).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s